SIDA

Parece que um em cada dez universitários de Coimbra julga que quem toma a pílula não apanha SIDA. Pela amostra do estudo, serão seis as sumidades. O que alargado à população universitária deve dar um número feio de inteligências. Eu tenho outra amostra para juntar ao tema: no ano passado, durante uma reportagem em Portimão, uma senhora já entradota rondava uma carrinha que anunciava: «Teste da SIDA, grátis». Depois de muito rondar e tornar a rondar, perguntou-me: «Tá bem, é grátis. Mas a gente não corre o risco de apanhar a SIDA lá dentro?».