Vieira do Minho

Na última sexta-feira, a apresentação do “Aqui na Terra” em Vieira do Minho trouxe à tona, uma vez mais, um sentimento enraízado no pensamento das pessoas mais comuns: afinal, para que serve o jornalismo se muitas vezes aquilo de que mais se fala se resume a escândalos, ao “casa e descasa” de famosos e outras trivialidades? Mais: não estão os jornalistas a “inventar” e a dar como verdades coisas que não foram filtradas pelos ensinamentos básicos do ofício? O resumo é meu, mas as dúvidas e questionamentos surgiram ao longo da sessão. E não vieram da parte de eruditos ou de gente familiarizada com esta profissão. As perguntas foram feitas por gente humilde, cidadãos comuns, com, vidas difíceis, que sentem que o jornalismo está distante das suas realidades, do seu dia-a-dia. Assim sendo, não é de admirar que eles também estejam longe de nós. Enfim, mais uma sessão rica, de ensinamentos mútuos. Fica aqui o meu agradecimento e carinho à professora Sameiro pela organização da sessão e por ter propiciado estes momentos.

(a foto é da Paula Cruz – obrigado Paulinha, por tudo e mais alguma coisa)