Não é mal visto, não

«A tragédia dos últimos 30 ou 40 anos é que a esquerda concentrou todas as suas atenções nas liberdades individuais [fim da segregação racial, movimento feminista, direitos dos homossexuais] enquanto a direita se focou como um laser nas questões económicas». A afirmação é de Michael Kazin, professor de História e especialista em movimentos sociais, no Público, sobre a situação económica dos EUA. Mas talvez valesse a pena partir dela para uma discussão interessante em Portugal: para que serviu ou serve a esquerda no nosso País? Que culpas tem ela no estado a que chegámos? Que gente de esquerda representa a esquerda? E para onde vamos, já agora? Se for tabu, avisem-me.