Petição Cineliterário

Para:Presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, Arqtº. Armindo Costa

Somos espectadores regulares do CINELITERÁRIO, que tem lugar na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, em Vila Nova de Famalicão, há mais de quatro anos consecutivos.
Esta iniciativa, dirigida pela Cláudia Sousa Dias, profissional exemplar no cumprimento desta sua função tem levado a V. N. de Famalicão centenas de pessoas, desde Março de 2007 até à data, quer locais, quer de outras cidades. Os debates, no fim dos filmes, são sempre de uma qualidade inegável, onde se verifica um profundo conhecimento das obras apresentadas, quer literárias, quer cinematográficas. E isso deve-se ao facto de a Cláudia Sousa Dias ser profissionalíssima, não defraudando nunca o participante e, muito importante, acrescentando valor aos conhecimentos adquiridos dos participantes. Nota-se sempre um cuidado extremo na preparação e apresentação de cada filme/livro. Por isso, como espectadores regulares e, ainda, como cidadãos atentos e solidários, pedimos-lhe o favor de rever e revogar a decisão de colocarem fim ao Cineliterário, cujo último encontro está agendado para o próximo dia 16 de Dezembro.

Com recursos escassos, esta iniciativa tem levado a Vila Nova de Famalicão grandes autores da literatura e do cinema, proporcionando momentos muitos especiais a muita gente, nomeadamente a quem não tem condições financeiras para pagar iniciativas culturais. Centenas e centenas de pessoas passaram pelo Cineliterário. Algumas mantêm-se desde há 4 anos!
Quanto custa à autarquia que V. Excª. dirige manter esta iniciativa? Qual é o retorno que tem no que respeita ao impacto cultural e, até, de visibilidade para o município famalicense? Neste espaço, além da fruição estética, estimulamos os nossos sentidos, os nossos recursos cognitivos, os nossos processos emocionais, percepções e interpretações da realidade, viajamos na história, na vida dos autores, interagimos e partilhamos ideias com um grupo de pessoas, sentindo-nos parte de um grupo, uma comunidade de leitores, com uma unidade e identidade própria, cruzando gerações e estratos sociais. Somos estimulados a ler, através do cinema e de chegar ao cinema através da leitura. Despertamos ou reforçamos a leitura do livro, divulgamos este ímpeto de ler obras literárias, nacionais e internacionais. Com esta iniciativa temos a oportunidade de colocar na prática o “bem viver”, força capaz de contrapor-se ao desânimo, aos problemas económicos e sociais com que nos deparamos. Como dizia François Ost “A cultura (…) aquilo que resta quando se esqueceu tudo da lei, da justiça, do poder, e é preciso inventá-los de novo…” .
O valor deste projecto é inegável! Na promoção da leitura e do cinema, da tertúlia e do debate, mas também como exercício de cidadania, numa área onde cremos ser impossível cortar mais: a cultura.

Abolir o Cineliterário é abolir a derradeira oportunidade de não nos sentirmos excluídos…do sonho. Por favor, não deixe que, ao menos, a capacidade de sonhar entre em crise! Em última instância, o Cineliterário dá-nos, também, essa realização: a de sonhar, nem que seja por duas horas, uma vez por mês!

Gratos pela atenção que possa votar a este nosso pedido,
Subscrevemo-nos,
Os signatários

Eu já assinei. Aqui: http://www.peticaopublica.com/?pi=cinelite