Sons da Primavera

O Primavera Sounds, ali para os lados do Parque da Cidade, é uma conquista do Porto. Veio para ficar e ainda bem. Confesso que, em matéria de festivais, não é a minha praia. Mas desaguam por lá algumas curiosidades que talvez valha a pena seguir. Por ora, limitei-me a tentar ver Yann Tiersen. Cheguei tarde, perdi umas quatro músicas e não saí satisfeito com a performance. Andava para vê-lo há uns anos e posso continuar a dizer que não o vi, ainda. Aguardemos. Mais à noite, lá fui arrastado para os Suede. Confesso o sacrifício. Mas a companhia esteve feliz e isso é que importa. De resto, não vi mais nada. Falaram-me maravilhas de The Drums, Bigott e Beach House. Queria ver Codeine, pela atmosfera Joy Division, e também me escapou. Dias melhores virão. E se houver Regina Spektor, melhor ainda.